ALGUNS ELEMENTOS DE HISTÓRIA

published at 28/07/2017

A história do Castelo de Chaumont-sur-Loire inicia-se por volta do ano 1000. Foi Odo I, conde de Blois, quem mandou construir a fortaleza na encosta que dominava o rio, criada para vigiar a fronteira entre os condados de Blois e Anjou. O castelo passa, em seguida, para as mãos de Sulpício I de Amboise em 1054 e permanecerá na família Amboise durante 500 anos.

Durante o Renascimento, em 1550, a rainha Catarina de Médicis adquire Chaumont-sur-Loire, que é considerado um dos castelos mais rentáveis do Vale do Loire, e aí recebe astrólogos, como Ruggieri e Nostradamus. Aquando da morte do rei Henrique II separa-se do castelo em benefício da sua antiga rival Diana de Poitiers, de quem recupera o Castelo de Chenonceau. Em 1750, o castelo torna-se propriedade de Jacques Donatien Leray. Este simpatizante eficaz da independência americana acolhe aí Benjamin Franklin, o artista italiano Jean-Baptiste Nini, que dirige as duas fábricas fundadas por Leray no interior do domínio e que irá representar este “pai fundador” dos Estados Unidos nos seus medalhões.

Em 1803, Napoleão I impõe o exílio à opositora Germaine de Staël, que pode, todavia, aproveitar a hospitalidade do seu amigo Leray filho para se alojar em Chaumont-sur-Loire de abril a agosto de 1810, para acompanhar a impressão do seu livro "De l'Allemagne" (“Da Alemanha”), em Tours.

Em 1875, com 17 anos, Marie-Charlotte-Constance Say, riquíssima herdeira do mestre do açúcar Louis Say, apaixona-se pelo charme do castelo e compra-o. Casa-se no mesmo ano com o príncipe Henri-Amédée de Broglie. Desde logo e durante meio século, a faustosa habitação torna-se palco de luxuosas festas que reúnem reis e rainhas de toda a Europa.